quarta-feira, 20 de abril de 2011

Considera-te um homem feliz quando puderes viver sob os olhos do público, quando as paredes da tua casa te protegerem sem te ocultar, paredes essas que a maioria imagina existirem não para que vivamos mais protegidos, mas para que prevariquemos mais às escondidas. Vou dizer-te uma coisa pela qual poderás avaliar o nosso estilo de vida: raro será aquele que é capaz de viver com as portas abertas. Os porteiros foram inventados pela má consciência, não pela vaidade; a nossa vida é tal que verem-nos de surpresa equivale a colherem-nos em flagrante delito. De que vale então fecharmo-nos em casa, ao abrigo dos olhos e dos ouvidos alheios? A boa consciência exige o testemunho dos outros, a má vive em contínua ansiedade mesmo na solidão. Se os teus actos são honestos, deixa que todos os conheçam; se são vergonhosos, para que serve ocultá-los dos outros quando tu próprio os conheces? Desgraçado serás tu se desprezares o teu próprio testemunho!
Séneca, Cartas a Lucílio

Sem comentários:

Enviar um comentário